Assim que chegou na empresa, Priscila Pedrosa levou alguns dias para se acostumar com o clima de amizade e cumplicidade da Moura. “Pensei até que algumas pessoas eram irmãos. Aqui as pessoas se abraçam, se chamam pelos apelidos, brincam e, principalmente, se ajudam o tempo inteiro a alcançar os resultados”, conta. Agora, quase sete anos depois de sua chegada, a administradora de empresas, que atua na Tesouraria e secretariando a Diretoria Financeira, estranha quem não tem o jeito “moureano” de ser.

Outras características da Cultura Empresarial Moura (CEM) cativaram Priscila rapidamente: a ética, o cuidado que a liderança tem com o desenvolvimento de suas equipes e o incentivo à prática do Voluntariado. “Aqui fazemos sempre o certo, somos incentivados a isso. E a liderança nos acolhe bastante, se preocupa conosco enquanto pessoas, antes mesmo da questão profissional. Isso faz com que a gente crie um laço forte e o trabalho em equipe seja uma realidade”, descreve.

No Voluntariado, Priscila pôde indicar uma comunidade próxima ao lugar onde residiu e que já ajudava com ações da igreja que frequenta: a comunidade de Sapolândia, em Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife. Dentro do Projeto Semear, que há 19 anos realiza ações planejadas de suporte à comunidades em condição de vulnerabilidade social e instituições de caridade.

“Conseguimos, a partir do engajamento dos colaboradores da Moura, realizar muita ação nesses cinco anos na Sapolândia, com foco voltado para crianças. Foram mais de 130 crianças alcançadas. Estruturamos mais de um Dia das Crianças, Natal, doação de brinquedos, ações de Saúde Bucal. Sem o Projeto Semear não teria sido possível ajudar essas pessoas”, celebra. Priscila é uma entre os mais de 100 voluntários ativos do Grupo Moura e participou também de iniciativas junto ao Lar de Clara, Lar de Idosos e Lar de Maria – algumas das instituições suportadas pelo programa.

Priscila lembra que sua jornada de qualificação profissional também tem contribuição efetiva da Moura. Para a sua pós-graduação em Controladoria recebeu auxílio da empresa. “Aqui na Moura recebemos motivação constante para realizar treinamentos, que terminam contribuindo diretamente para o nosso desenvolvimento pessoal”, resume, acrescentando que no dia a dia profissional pôde ter acesso às ferramentas mais modernas de gestão.