O Grupo Moura e o Instituto de Tecnologia Edson Mororó Moura (ITEMM) deram início ao funcionamento da primeira unidade de microrrede, também conhecida como microgrid, que integra o Moura BESS. O projeto, que está em fase final de implementação na sede do ITEMM, localizada na cidade de Belo Jardim, em Pernambuco, é um projeto demonstrador e também um laboratório vivo para aprimoramento das soluções Moura para as microrredes. As microrredes são uma tendência de mercado cada vez mais presente, podendo resolver problemas de qualidade no suprimento de energia para indústrias, comércios ou condomínios. Podendo, também, ser uma solução de baixo custo e baixa manutenção para atender à comunidades isoladas, com diferentes fontes de geração, armazenamento e inteligência para reduzir os custos com energia.

A microrrede Moura/ITEMM funciona a partir da geração de energia fotovoltaica, consorciada ao armazenamento de energia em baterias e pode ser complementado por um gerador térmico à diesel para os períodos mais chuvosos. A solução explora o potencial de integração dessas três tecnologias em projetos para atender áreas isoladas com maior eficiência, uso de energia mais limpa, a partir de uma menor emissão de poluentes – tanto por adotar uma geração distribuída via fontes renováveis, quanto pela otimização do uso de combustíveis fósseis, uma vez que o gerador será acionado forma estratégica, dentro de um plano de gestão de energia.

“Para os consumidores off-grid, a solução é a que mais apresenta equilíbrio econômico-financeiro e demanda menor área para implementação da infraestrutura necessária, reduzindo também as complicações logísticas de uma solução que consome muito combustível e necessita de reposição constante. Para os consumidores conectados à rede (on-grid), o microgrid permite que os clientes sejam autônomos do ponto de vista energético, podendo desconectar da concessionária quando for conveniente, seja pelo alto custo de um período de ponta, seja pela qualidade ou falta de energia. As microrredes vão mudar a forma com que o consumidor se relaciona com a energia, com mais independência, autonomia e confiabilidade.”, destaca o Diretor Geral Comercial de Baterias Industriais e BESS, Luiz Mello.

Tecnicamente, a microrrede Moura/ITEMM conta com um sistema fotovoltaico de capacidade instalada de 310 kWp, um Moura BESS de 250 kW/ 560 kWh e um grupo gerador de 75 kVA. Juntos, permitirão ao ITEMM se tornar autossuficientes, priorizando o uso de energia fotovoltaica produzida e garantindo uma segurança energética de curto e longo prazo, devido à composição com o BESS para uso diário e o gerador, para uso em casos específicos como faltas de energia por muitas horas. A microrrede permite usar a concessionária quando o suprimento energético for de qualidade e barato, mas possibilita também a opção de consumir sua a energia limpa gerada, quando for mais viável e conveniente.

O porta-voz destaca ainda que o microgrid faz parte da jornada de amadurecimento do setor elétrico brasileiro. “Possibilita às empresas e, mais na frente as pessoas físicas, se tornarem o que no mercado internacional é chamado o prosumer: geradores, gerenciadores e consumidores de sua energia”.