Ninguém quer passar pela situação de ter o carro guinchado. Afinal, após o veículo ser recolhido, é preciso seguir à risca algumas instruções para recuperá-lo. No geral, o processo envolve consulta para localizar o automóvel, solicitação de liberação, pagamento de taxas e comparecimento ao órgão responsável da respectiva cidade. 

O artigo 181 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) determina que um veículo pode ser rebocado e levado a um depósito caso esteja estacionado em locais proibidos ou de forma irregular. Motoristas que se envolverem em acidentes de trânsito com lesões corporais ou em ato ilícito penal também têm seus veículos removidos.

A verdade é que até mesmo o melhor motorista pode cometer deslizes no trânsito, como estacionar o automóvel em um local proibido ou de maneira irregular, que podem levar ao rebocamento do veículo. Se isso aconteceu com você, fique tranquilo. Preparamos um guia que explica como recuperar o carro guinchado. Acompanhe!

O que fazer quando o veículo é guinchado?

O primeiro passo a ser seguido após o automóvel ser guinchado é ligar para a central da prefeitura da sua cidade e informar a placa e o número do chassi do veículo. Assim, é possível descobrir em qual depósito público o veículo está localizado. 

Diversos municípios permitem fazer essa consulta e até mesmo o pedido de liberação do veículo no site da prefeitura. Na página inicial da plataforma da prefeitura do Rio de Janeiro, por exemplo, há uma seção chamada “Veículos Rebocados”. 

Se o site do seu município não mostrar essa opção de forma tão explícita, busque, na barra de pesquisa do portal, por palavras-chave, como “carro guinchado”, “veículo removido” ou “veículo rebocado” 

Feito isso, é hora de solicitar a liberação do carro guinchado no site do Detran do seu estado, caso o portal online da sua prefeitura não apresente essa opção. Para isso, é preciso informar CPF do proprietário, placa, Renavam e número do chassi, além de outras informações pessoais. 

Ainda seguindo as orientações do portal do Departamento Estadual de Trânsito, você deverá emitir o boleto com o valor das diárias e uma taxa feita pela remoção do veículo. Após fazer o pagamento em um banco físico, o dono do carro pode ir até o pátio retirar o veículo. 

O proprietário precisa ter em mãos alguns documentos, que podem variar dependendo do estado. No geral, o órgão exige certificado de Registro de Licenciamento do Veículo (CRLV), RG, CNH válida e o comprovante de pagamento das despesas de remoção e estadia do veículo. 

É importante conferir no site da prefeitura ou no Detran todos os documentos exigidos pelo órgão do seu estado. Vale destacar também que só é possível fazer a retirada do veículo se todos os débitos estiverem quitados, isso inclui multas pendentes e IPVA. 

Como saber se o seu carro foi guinchado?

pessoa segurando um celular

Para saber se seu carro foi guinchado, entre em contato com a prefeitura da sua cidade.

Para saber se seu carro foi guinchado, consulte a central de atendimento da prefeitura de onde você mora. Como já dito acima, também é possível fazer essa checagem pelo site da prefeitura na área de “Mobilidade e Trânsito” ou na seção “Veículos rebocados”, dependendo da sua cidade. Para isso, é necessário informar a placa e o número do chassi do veículo. 

Além disso, quando um veículo é apreendido por estar estacionado irregularmente, o órgão de trânsito coloca um cavalete no local da remoção explicando ocorrido, com o número da central de atendimento para o motorista conseguir mais informações. 

Confira o número da central de atendimento ao cidadão das principais capitais brasileiras:

  • São Paulo (156)
  • Rio de Janeiro (1746)
  • Belo Horizonte (156)
  • Goiânia (1001)
  • Salvador (156)
  • Curitiba (156)
  • Porto Alegre (156)
  • Campo Grande (156)
  • Fortaleza (156)

Qual o valor da diária do pátio?

O valor da diária do pátio varia de acordo com o órgão que efetua a cobrança em seu município. Mas quanto menos rodas o veículo tiver, menor o valor a ser pago. A regra vale para todas as cidades. 

Na capital paulista, por exemplo, a diária de motos é de R$ 19,50, já a de veículos leves, como carros, o valor é de R$ 56,50. Enquanto ônibus precisam pagar R$ 208 por dia que permanecerem no pátio. Já a taxa de remoção de veículo é R$ 233 para motos, R$ 691 para carro guinchado, R$ 1.544 para veículos pesados, como caminhões, e R$ 3.597 para ônibus. 

No Rio de Janeiro, as diárias apresentam um valor mais elevado se comparado a São Paulo. As taxas variam de R$ 41,71 a 166,99. Já as remoções são mais baratas, elas vão de R$ 103,30 a R$ 413,23. Seguindo a lógica, veículos menores pagam menos do que os maiores. 

Como solicitar um guincho?

Quando um carro para de funcionar de uma hora para outra, a solução é solicitar a remoção do veículo para uma oficina ou para sua casa. O procedimento é feito a partir de serviços de guinchamento de veículos. O pedido pode ser feito via aplicativos, por ligação para determinada empresa ou acessando sites que ofereçam guinchamento de veículos. 

No caso de motoristas que possuem seguro do carro, normalmente as seguradoras oferecem o serviço aos seus clientes. Nessa situação, basta entrar em contato com a Central de Atendimento da empresa. 

Carro parou de funcionar? Não deixe problemas com a bateria atrapalhar seu caminho. Conte sempre com a Moura para o melhor para o seu veículo! Para conferir nossos produtos, basta acessar o mourafacil.com.  

Quer dicas para trocar de carro? Clique aqui e descubra!