Estudantes do oitavo ano do ensino fundamental de escolas da rede pública estão vivenciando uma oportunidade única. Com o projeto “ERA UMA VEZ… BRASIL”, 63 jovens passaram 10 dias em Lisboa, Portugal, para percorrer e reviver os caminhos de Dom João e da corte portuguesa antes da chegada ao Brasil.

Além de promover o enriquecimento cultural dos alunos com o contato de diferentes linguagens artístico-culturais, o projeto também favorece a formação de professores de História da rede pública, apresentando novas ferramentas de ensino e aprendizagem. Durante a ação são realizadas produção de Histórias em Quadrinhos e de Vídeos para se ensinar História. O projeto também proporciona vivências e imersões culturais ao lado de comunidades indígenas e quilombolas, onde eles atuam como protagonistas da própria história, relatando a forma de vida aos alunos.

O “Era uma vez… Brasil” incentiva a arte-educação, estimula a criatividade, ressignifica a aprendizagem, possibilita vivências e valoriza a nossa cultura. Tem como base o livro 1808 do escritor e jornalista Laurentino Gomes, que aborda a transferência da família real e da corte portuguesa para o Brasil.

Com esse objetivo, o projeto já está em sua quinta edição e já envolveu mais de 50 mil estudantes e mais de 400 professores. Este ano, as cidades envolvidas são Salvador (BA), Mata de São João (BA), Belo Jardim (PE), Lençóis Paulista(SP), Macatuba(SP), Araraquara (SP), Gavião Peixoto (SP), Rincão (SP), Ribeirão Preto (SP) e São Simão (SP).

Os 63 alunos que participaram do programa este ano participaram de três etapas de seleção e foram selecionados entre os mais de 400 alunos que chegaram até a última etapa.

“Em 23 anos lecionando História em escola pública, por mais que eu tentasse encantar meus alunos com os temas trabalhados em sala de aula, com todas as alternativas didáticas que utilizei, foi a primeira vez que alguns alunos mergulharam na possibilidade de percorrer, ao vivo, lugares históricos como se fossem os protagonistas… a expectativa foi marcante”, professora Jozi Rodrigues, de Ribeirão Preto-SP.

O projeto foi desenvolvido pela Origem Produções e, em 2018, conta com o patrocínio da Bateria Moura, Grupo Lwart, RTE Rodonaves e CUTRALE.