A Moura, nos últimos anos, tem empreendido uma jornada intensa de inovação em seus processos fabris, com ampla adoção das soluções que integram o que o mercado define como Indústria 4.0. O projeto mais recente foi o desenvolvimento da primeira célula de robótica concebida inteiramente dentro de casa, fruto do trabalho da equipe Moura.

“Temos como desafio permanente tornar, dia a dia, a inovação como algo transversal em nossa organização. Na área fabril, adotar a tecnologias da Indústria 4.0 visam melhorar a competitividade da manufatura e, aqui na Moura, esse é um papel coletivo”, explicou o gerente industrial Vanderley Maia, que liderou o projeto da célula robótica.

Na prática, a Indústria 4.0 prevê maior adoção de soluções de automação, simulação digital, gestão de dados (big data), aplicação da Internet das Coisas no processo fabril, inteligência artificial e maior integração entre os colaboradores e as máquinas e equipamentos que embarcam essas novas tecnologias.

A primeira célula de robótica desenvolvida pelo time Moura levou seis meses para entrar em pleno funcionamento e é voltada para a palletização das baterias, ou seja, o posicionamento correto das baterias produzidas nos pallets utilizados no transporte da fábrica para o Centro de Distribuição e, em seguida para as Distribuidoras da Rede Moura até chegarem nas revendas, diretamente para os consumidores.