Conhecida também como junta da colaça ou junta de cúpula, a junta do cabeçote é o revestimento que une o bloco do motor com o próprio cabeçote. A peça garante uma vedação completa entre as duas partes e evita o escape de líquidos e combustão.

Em outras palavras, a junta do cabeçote é responsável por manter o seu motor saudável. Ela assegura que a água ou o óleo não vazem e continuem lubrificando a principal peça do seu veículo. Se a junta do cabeçote estiver queimada você pode ter grandes problemas em um curto período.

Mas como saber se a junta do cabeçote está queimada? É possível andar com a junta do cabeçote queimada? É preciso fazer retífica com a junta do cabeçote queimada? Para acabar com todas as dúvidas, confira a nossa postagem completa sobre o assunto.

Junta do cabeçote queimada

Quando ocorre um superaquecimento do motor, que pode acontecer por diferentes motivos, a junta do cabeçote também sofre com a alta temperatura e acaba queimando. O defeito na peça pode apresentar alguns sintomas como:

Porém, há casos em que nenhuma dessas situações acontece, levando o motorista a acreditar que está tudo bem com a junta. Por isso, a avaliação sobre a junta do cabeçote é considerada uma das maiores dúvidas mecânicas de um veículo. 

Como saber se a junta do cabeçote está queimada?

De fato, a olho nu, não é tão simples estabelecer a real situação da junta do cabeçote. No entanto, há testes que facilitam o trabalho e trazem um resultado mais seguro. Utilizando o aparelho chamado “Testador de vazamento de compressão” você acaba de vez com a dúvida sobre como saber se a junta do cabeçote está queimada.

Aplicando o ar comprimido, a ferramenta é capaz de indicar se há escapamentos no motor, apontando o mau funcionamento da junta. Ao concluir o teste e constatar o defeito, em geral, você tem três opções para o conserto:

  • Retífica do bloco do motor;
  • Retífica do cabeçote;
  • Troca da junta.

Posso andar com a junta do cabeçote queimada?

Agora que você já sabe como identificar o defeito, a seguinte dúvida pode surgir: “Posso andar com a junta do cabeçote queimada?”.

A resposta para esse questionamento é não! A não ser que seja um caso de emergência, uma situação que traga risco para o seu bem-estar ou para os seus passageiros, você jamais deve andar com a junta do cabeçote queimada.

Com o passar do tempo, o defeito vai se agravando e acaba atingindo diretamente o motor do veículo. Além de empenar o próprio cabeçote, o adiamento do conserto pode causar o travamento do motor.

Caso o dano interno seja muito grande, você corre grande risco de tornar o reparo da junta ou do motor praticamente impossível. Portanto, é importante procurar ajuda especializada o mais rápido possível.

Preciso fazer retífica com a junta do cabeçote queimada?

Homem observando a junta do cabeçote de um carro que está com o capô aberto

Caso o defeito seja detectado rapidamente, o conserto da junta do cabeçote será mais simples e barato.

Como explicado, ao detectar o defeito na junta, você tem três opções para resolver o problema. A boa notícia é que nem sempre é preciso fazer uma retífica e gastar um dinheiro maior, comprometendo a sua rotina de trabalho.

Confira, abaixo, qual é a melhor ação em cada caso.

Quando não é preciso fazer retífica com a junta do cabeçote queimada?

Lembra quando falamos que não é recomendável andar com a junta do cabeçote queimada? Pois é justamente seguindo esta dica que você evita maiores dores de cabeça e também a necessidade de fazer a retífica do cabeçote.

Ao detectar o defeito logo no início e levar diretamente para um mecânico, os danos tendem a ser menores. Você só terá que investir em uma junta nova e no alinhamento da peça com o cabeçote que já está no carro.

Em geral, trata-se de um serviço rápido, com a montagem do bloco e a colocação da nova junta – seguidos de um teste para saber se não ficou nenhum vazamento. O custo também tende a ser bem mais baixo.

Quando é preciso fazer retífica com a junta do cabeçote queimada?

Quando você continua rodando com o carro mesmo sabendo do defeito, o problema pode atingir diretamente o cabeçote ou mesmo o motor – como já explicado. E quanto mais o tempo passa, mais difícil fica a situação.

Ao decidir parar o veículo e levar até o mecânico, a solução será a retífica do cabeçote ou do motor. Nesse caso, o serviço é muito mais demorado e complexo, demandando testes com manômetro com a finalidade de verificar se há vazamentos internos.

Além de ficar um período maior sem o seu veículo, ao fazer a retífica do cabeçote ou do motor você gastará muito mais.

O melhor caminho é sempre optar por manutenções preventivas ou preditivas e ficar atento aos sinais de defeito. Garantir o bom funcionamento da junta do cabeçote é trazer maior tranquilidade no seu dia a dia, bem como, evitar custos além do necessário. 

Agora que você já sabe a importância de manter o bom funcionamento da junta do cabeçote, é interessante escolher uma bateria de qualidade para garantir ainda mais segurança e conforto para seu veículo para você aproveitar suas viagens sem se preocupar. 

E as baterias Moura são excelentes opções, sempre com qualidade e ótima funcionalidade. Confira mais!

Peça sua bateria online