Desde jovem, Roberto Pereira traçou como meta ganhar o mundo e construir uma carreira no mundo automotivo. Sua larga experiência internacional foi determinante para assumir a Diretoria da Moura Argentina, a única fábrica da empresa fora do Brasil onde completou quatro anos no último mês de abril. O executivo tem a missão de integrar processos, harmonizar diferentes culturas e promover o intercâmbio de avanços tecnológicos com os polos produtivos da empresa no Brasil.

Ainda estudante do curso de Engenharia Mecânica da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Roberto teve a oportunidade de realizar um intercâmbio para França, onde desenvolveu seu trabalho de conclusão de curso tendo como base o case de atuação de um dos maiores grupos automotivos da Europa.

O projeto foi sua porta de entrada na companhia, onde atuou por quase oito anos, chegando a assumir a gerência de Projetos, responsável por coordenar um time global e multidisciplinar na implantação de uma nova unidade produtiva na China.

Ainda no continente asiático, assumiu a diretoria técnica de outra companhia, onde atuou na área de novos projetos, Pesquisa & Desenvolvimento e gestão de processos, com foco na redução de custos, ao longo de aproximadamente três anos. Foi quando surgiu a oportunidade de integrar o time da Moura.

“Soube que o grupo queria um brasileiro com experiência internacional. Acredito que a experiência em mercados internacionais, de saber adaptar-me e superar os desafios culturais, entender como cada povo e cada forma de trabalho são moldados nos diferentes países por onde passei me preparou para essa função”, comenta Roberto. Em sua lista de destinos profissionais, o executivo tem passaporte carimbado na França, Alemanha, Estados Unidos, República Tcheca, Coreia do Sul, Japão, China além de Brasil e Argentina.

Em 2015, quando retornou à América do Sul já como Diretor da Moura Argentina, Roberto Pereira também assumiu o leme da operação fabril mais recente do Grupo até então, em um país com grandes desafios macroeconômicos. “Nesse cenário buscamos ampliar a profissionalização das equipes, dotar de maior eficiência os processos e, em momentos de retração, reduzir custos, ampliar produtividade e diminuir perdas”, resume.

Pereira destaca a excelência do time que encontrou na Argentina, especialmente para uma empresa que tinha iniciado operações no País há pouco tempo. “O grupo já detinha um senso de espírito de equipe e vontade de superar desafios que me contagiou. Para mim, que estava chegando na companhia naquele momento foi fundamental para absorver a cultura organizacional e entender o propósito e os princípios do que é ser Moura”, reconhece.

O executivo reforça que a qualidade das pessoas tem sido o principal motor de crescimento das atividades e da entrega de resultados e por isso, projetos e ações permanentes de formação pessoal e profissional de todos os colaboradores tem sido foco prioritário de sua gestão. “A Moura enxerga nas pessoas e no seu desenvolvimento contínuo a base para o seu sucesso”, define.

Fruto dessa integração de pessoas e um forte trabalho de equipe foram as certificações ISO recebidas pela Moura Argentina no ano passado. Foram elas a ISO 9001, a IATF 16949 e a ISO 14001

A integração entre as operações brasileiras e argentinas também se mostrou fundamental. O executivo cita como benchmarking a adoção do modelo de desenvolvimento de melhorias contínuas, os Kaizens, que alia os pilares de World Class Manufacturing (WCM) com o modelo de gestão Moura. Projetos que em conjunto com outras áreas resultaram em redução de perdas e melhoras na eficiência importantes na fábrica portenha.