A equipe de Engenharia da Moura, maior fabricante de baterias da América do Sul, preparou um material com informações e recomendações com para cuidar das baterias dos veículos em tempos como o atual, em que os automóveis estão mais parados nas garagens que circulando nas ruas. Confira:

01) Mesmo com o veículo desligado, o fato da bateria estar conectada ao veículo faz com que ela seja utilizada e, consequentemente, possa ser descarregada. Isso porque o veículo mantém correntes bem baixa, são as chamadas correntes de Stand By, que servem para manter ligados funções essenciais dos veículos, que precisam ser acionadas 24h.

02) A bateria automotiva é um produto eletroquímico que possui uma característica chamada Descarga Espontânea. Isso significa que, mesmo sem estar conectada ao veículo (por meio do cabo negativo), naturalmente perde poder de partida ao decorrer do tempo. Quanto mais nova a bateria for, mais devagar é o fenômeno da descarga espontânea, ou seja, mais tempo ela consegue suportar sem receber carga e, ainda assim, ser capaz de dar partida no veículo.

03) Dependendo de quão nova for a bateria é possível passar de 10 a 30 dias sem a necessidade de partir o veículo. Mas lembre-se: essa estimativa é para os casos em que o cabo negativo foi desconectado, ou seja, a bateria não está sendo demandada pelas correntes de Stand By presentes no veículo parado.

04) Nesse intervalo de tempo, é importante dar partida no veículo e aguardar um período de 15 a 30 minutos. Importante frisar que essa recarga emergencial exige que se repita o processo a cada uma semana, no mínimo, e que seja mantido o cabo negativo desconectado.

05) Com o cabo negativo conectado, as estimativas de tempo que uma bateria suporta com o veículo parado são difíceis de precisar. Tudo vai depender do seu “estado de saúde”. Recomenda-se intervalo menor que uma semana para partida no veículo e recarga parcial.

06) Se o veículo vai ficar parado por muito tempo, o ideal é manter o cabo negativo da bateria desconectado.  Mas cuidado! É fundamental checar antes as instruções do fabricante do veículo sobre quais os impactos provocados por essa operação. É possível que a retirada do cabo negativo faça com que as memórias do carro de percam (programação do rádio, relógio e parâmetros de velocidade controlada, por exemplo). Se for seguro, de acordo com fabricante, retirar o cabo negativo vai ajudar bastante a manter a capacidade de partida da bateria por mais tempo. Outro ponto é que isso só deve ser feito caso o veículo se encontre em um lugar seguro para que o mesmo possa ficar sem o alarme durante esse período. Em um caso de não ser possível retirar o cabo negativo, quanto menos exposto ao sol o veículo se encontrar, menor é a velocidade de reação de descarga da bateria.

07) Fique de olho! São indicativos de que a bateria chegou ou está próxima do fim de sua vida:

  1. a) O motor de partida não arranca. No momento de girar a chave, apenas são ouvidos sons de “clicks”;
  2. b) Os pistões do motor giram devagar: quando a chave é girada, o motor demora a pegar e é percebido uma certa “lentidão” em seu acionamento;
  3. c) A maioria das baterias possuem um indicador de carga em sua parte superior. Se o indicador estiver verde, significa que a bateria está boa para uso. Se estiver preto, pode significar que a bateria já está no final de vida ou pode ser que ela esteja apenas descarregada.